Com corte de salários antecipado, STF fulmina direito de greve dos servidores públicos!

stfpilatos

Nem pilatos faria melhor!

Até ontem, em toda greve de servidores públicos, valia a seguinte regra:

Os salários eram pagos e o gestor público – prefeito, governador ou presidente, só poderia cortar salários a partir do momento da decretação pela justiça da abusividade da greve…

Numa greve considerada justa, os servidores públicos estavam protegidos contra abusos de governantes que decidissem não reajustar salários de acordo com a inflação, por exemplo.

A partir de hoje, vale uma nova regra:

O STF decidiu que o poder público deve cortar salário do servidor público que fizer greve. Isso mesmo: obriga o corte de salários! E não é uma decisão para as greves consideradas ilegais, mas para toda e qualquer greve!

Palavra dos Ministros:

Não adiantou o Ministro Marco Aurélio argumentar que os descontos, sem reconhecimento da ilegalidade da greve pela Justiça seriam ilegais… Não adiantou ele dizer que o corte antecipado “fulminaria” o direito à greve.

Suas palavras deixaram clara sua justa posição: _”Não concebo que o exercício de início de um direito constitucional possa de imediato implicar esse prejuízo de gradação maior, que é corte da subsistência do trabalhador e da respectiva família.”

Também não adiantou o posicionamento de Ricardo Lewandowski: _”Eu penso que os vencimentos à princípio são devidos até o Judiciário se pronuncie e diga que a greve é ilegal ou abusiva.”

Na hora da decisão, valeu a relatoria de Dias Toffoli e o voto “vista” de Luís Roberto Barroso: _”O administrador público não apenas pode, mas tem o dever de cortar o ponto. O corte é necessário para a adequada distribuição dos ônus inerentes à greve, para que a paralisação, que gera sacrifícios à população, não seja adotada pelos servidores sem maiores consequências.”

Considerações que não querem calar:

Os golpistas derrubaram uma presidenta que não aceitaria fazer ajustes que recaíssem sobre os trabalhadores;

Os golpistas, criam a PEC – 241, que impedirá aumentos nos investimentos em educação, saúde, segurança e gastos sociais por 20 anos;

A reforma trabalhista será executada apenas para retirar direitos daqueles que constroem a riqueza da sociedade;

A reforma previdenciária será a “pá de cal” sobre os trabalhadores brasileiros;

Levando em conta que uma greve nos serviços públicos, sempre mobiliza as opiniões contra os governos…

Para evitar qualquer manifestação de greve nos serviços públicos, o STF, que fez parte do Golpe, cria um mecanismo para podar até mesmo a tentativa de mobilização!

É como se dissessem: _” Vamos tirar direitos mesmo, e vocês calem a boca e não se manifestem!

Agora o Brasil, voltou a ser de poucos!

Aplausos para os responsáveis!